18 de novembro de 2011

Notebook Microboard Iron i5 - Minha experiência

Antes de você ler esse post, quero registrar meus parabéns à Microboard pela dedicação e solução do defeito da dobradiça do meu notebook.

Caso você precise resolver alguma coisa com a Microboard, leia o relato e como as coisas foram se desenrolando. Você vai perceber que a empresa não fica dando respostas padrão quando percebem que o problema não é o padrão. Gosto de empresas com essa atitude.

Eis aqui o log de interações até a solução do problema da dobradiça do meu notebook:
  • [18/11/2011] A Microboard entrou em contato pelo Twitter, pedindo meu telefone. Informei. Vamos ver o que (e quando) vai acontecer.
  • [21/11/2011] A Microboard entrou em contato por telefone. Como não há assistência técnica credenciada no Rio de Janeiro, combinamos que vou enviar o notebook para a fábrica. Vai e volta por Sedex, sem custo para mim. Agora vou tentar arranjar outro computador, tirar backup dos dados e enviar para eles. Gostei do atendimento da Elaine. Muito atenciosa.
  • [22/11/2011] A Microboard designou uma assistência técnica aqui no Rio de Janeiro e abriu uma ordem de serviço pra mim. A Elaine me ligou novamente informando a respeito do andamento do processo. Não precisarei enviar o computador pelos correios. Agora, vou bater novas fotos para o problema ficar mais visível e para que eles possam enviar as peças necessárias para a assistência técnica.
  • [23/11/2011] Bati novas fotos do notebook (abaixo), e enviei à Microboard. Agora, os técnicos de lá vão olhar o problema e mandar as peças necessárias para o reparo.
  • [25/11/2011] A Microboard me informou por DM no Twitter que as peças para consertar meu notebook serão enviadas na 2a feira, 28/11/2011.
  • [28/11/2011] A microboard me informou por DM no Twitter que as peças foram enviadas por transportadora. Perguntei qual a previsão de chegada aqui no Rio. Estou aguardando a resposta deles.
  • [29/11/2011] A Microboard me informou por DM no Twitter que as peças devem chegar amanhã (30/11/2011) na assistência técnica aqui no Rio. Vamos continuar aguardando.
  • [01/12/2011] A Microboard me informou por email que as peças chegaram ontem à assistência técnica, aqui no Rio, e me passou os dados para localização delas. Liguei na assistência técnica 2 vezes, mas a atendente me disse que não poderia abrir a caixa com as peças que chegaram porque o sistema da Microboard estava fora do ar. Enquanto isso, a Elaine continua acompanhando o processo. Me mandou um email perguntando se consegui agendar o conserto. Ainda não, mas amanhã cedo ligo na assistência técnica novamente e vamos ver o que a atendente me diz.
  • [02/12/2011] Minhas peças chegaram mesmo na assistência técnica. 2a feira levarei meu notebook p/ consertar.
  • [05/12/2011] Acabei de voltar da assistência técnica com o notebook consertado. Quero parabenizar a Elaine e aos profissionais da Microboard que de alguma forma se envolveram para a solução do meu problema. Registro também a eficiência da Rede Fácil, assistência credenciada aqui no Rio de Janeiro. Com a ajuda da Fernanda, pude conversar diretamente com o técnico e explicar o histórico do problema. Em menos de 1 hora meu computador estava consertado e eu posso novamente voltar a trabalhar normalmente, usando o notebook na finalidade para a qual ele foi adquirido.

Em abril/2011 eu comprei um notebook Microboard Iron i5, com 4GB de memória. Já estava na hora de fazer um upgrade no meu antigo CCE, Core 2 Duo, com 2GB de memória e 4 anos ininterruptos e felizes de estrada, sem nunca me deixar na mão.

A configuração é boa, veio com Linux Debian, Webcam, Drive de DVD, saída HDMI, 3 USB, Bluetooth, o teclado é uma maravilha, a tela também muito boa. Pra mim foi perfeito, tudo funcionando no Linux. O notebook é leve, bonito e com bom desempenho.

Mas em junho/2011 uma das dobradiças da tampa soltou. Como era um detalhe, fiquei usando o computador assim mesmo, mas com cuidado.

Em setembro/2011, veio o pesadelo: o note parou de reconhecer a fonte de energia. Levei na assistência técnica e deixei-o lá. Foram 27 dias sem o computador!

Quando voltou, a fonte já era reconhecida novamente e a dobradiça estava consertada. Fiquei feliz. Tudo novo de novo. Apesar da demora, a Microboard me atendeu dentro do prazo da lei: 30 dias.

Hoje pela manhã, 18/11/2011, ao abrir a tampa do notebook, a mesma dobradiça quebra novamente! Desta vez, de um modo estranho. Parece que os parafusos que prendem a carcaça soltaram-se dela.

Abaixo, as fotos da dobradiça quebrada.
Carcaça da tampa separada do corpo do notebook.

Novamente a dobradiça quebrada.
A peça metálica que é parafusada na carcaça, soltou. Note como a dobradiça está completamente solta.

A mesma peça, vista de trás. Os parafusos estão nela.

Novamente a peça que soltou. Agora, num ângulo mais separado da carcaça da tampa.



Imediatamente entrei em contato com o SAC da Microboard, que me disse que a dobradiça não tem garantia. Mas que eu poderia enviar o notebook à fábrica deles, que a mão-de-obra seria gratuita. Essa dobradiça tem 1 mês de uso, pois foi trocada, lembra?

Quem me conhece sabe que meus notebooks parecem novos depois de anos de uso. Tenho um HP com 9 anos de idade. Usei um CCE por 4 anos e ele está inteiro até hoje.

Se existe uma coisa que tenho cuidado é com computadores. Até porque eu uso o notebook para trabalhar. Vivo dele!

Então, quero deixar registrado que os notebooks da Microboard são bonitos e com ótima configuração, mas precisam melhorar na robustez da dobradiça.

Esse é um item que merece atenção. Principalmente em configurações que notoriamente são adquiridas por profissionais, não por quem usa o notebook para ficar brincando, ou por mero capricho.

Seria muito bom se a Microboard pudesse consertar meu computador sem eu ter que deixá-lo na assistência técnica por mais dias. Afinal, o problema é simples de identificar e de solucionar. Como essa dobradiça tem 1 mês, nada mais justo que ser trocada sem custo, concorda?

Peço que quem ler esse post divulgue-o no twitter, email, sinal de fumaça... sei lá. Só assim é possível que as empresas dêem maior atenção aos projetos desenvolvidos no Brasil e aos clientes também.