9 de julho de 2010

Exceder sim

Às vezes minhas opiniões incomodam e eu gosto disso. Em agosto de 2009 eu escrevi um post mostrando um pouco do meu pensamento a respeito do perfil de um desenvolvedor de software. O título dele é "Todo desenvolvedor deve saber".

Hoje eu recebi um comentário lá, de uma pessoa anônima, falando sobre a relação entre a exigência do que citei e o salário baixo que algumas empresas pagam. E isso me motivou a escrever esse novo artigo, sobre postura profissional.

Eu mostro esse texto para algumas pessoas que eu sinto precisarem situar-se melhor no ambiente profissional e para meus colegas de trabalho. Há alguns dias eu o coloquei como uma das referências de leitura para possíveis candidatos a uma vaga de desenvolvedor que abrimos na empresa que eu trabalho. Alguns concordam comigo, outros não. Isso é natural.

Agora, seja sincero e me responda:
  • Se você fosse dono da empresa, sabendo o quanto ralou para estabelecê-la, pagaria um salário alto para um recém-contratado antes de saber se o trabalho dele vale tudo isso?
  • Pagaria para ele ter postura profissional, ou porque ele a tem?
  • Daria aumento para uma pessoa começar a mostrar que pode mais, ou porque ela já mostrou isso?
  • Promoveria uma pessoa para ela compartilhar o conhecimento, ou porque ela já tem o hábito de não esconder o jogo?
  • Concederia um bônus para que ela entenda as prioridades da empresa, ou porque ela já veste a camisa?

Acho que você já entendeu aonde eu quero chegar, né?

Portanto, o que escrevi naquele artigo anterior não tem nada a ver com o tamanho do salário que você tem. Mas certamente tem a ver com o tamanho do salário que você mostra que quer ter.

Aliás, salário não se ganha, se conquista, viu? Seu patrão não te dá de presente. Ele compra seu tempo.

Talvez você não alcance seu ideal nessa empresa que está hoje, mas seu futuro profissional será moldado por suas atitudes (positivas ou negativas), não por suas expectativas.

Não espere que seu chefe te dê aumento para só então você começar a mostrar mais serviço. Sugiro mostrar isso antes de ele perceber que você estagnou e resolva contratar outra pessoa pro seu lugar.

É esse cenário que vemos quando um grupo trabalha junto há anos e, de uma hora pra outra, entra um chefe novo e todos se perguntam por que nenhum dos antigos foi escolhido para o cargo.

Costumo dizer pros meus colegas que se passarmos uma semana sem aprender nada no trabalho, devemos procurar outro lugar para trabalhar.

Dizem que não devemos disputar com nossos companheiros de equipe. Eu penso exatamente o contrário. Quero sempre participar de equipes que tenham conhecimentos diversificados. Quero aprender mais e ensinar também. Sim, quero ser o melhor, ganhar o maior salário, ser o referencial. Não quero derrubar ninguém, mas quero crescer, independente do que os outros pensem. Afinal o meu futuro é meu, né?

Gosto muito de uma frase de Sir Isaac Newton que diz: "se hoje posso enxergar mais longe, foi porque me apoiei em ombros de gigantes".

Gosto também do que ouvi de um dos componentes do grupo de dança inglês, chamado Flawless ("sem falhas", na tradução literal): "persiga seus sonhos, não seus competidores".

Sonhe alto, busque chegar lá, exceda sim!