6 de junho de 2009

Se o Linux fosse o sistema operacional mais usado no mundo

Outro dia um colega de trabalho mandou um e-mail com o mesmo título desse post.

Daí eu resolvi colocá-lo aqui na íntegra, com algumas correções de português, para ficar melhor.
Normalmente vemos textos de usuários de Windows falando sobre como as coisas são no Linux. Esse, nos mostra as coisas de um outro ângulo.

Vale a pena a leitura.

Eu compreendo os indivíduos que dizem ter problemas em passar do Windows para o Linux. Senti o mesmo ao experimentar o Windows. Eu decidi experimentá-lo depois de alguns amigos que o usam me dizerem que era ótimo.

Fui até ao site da Microsoft para baixá-lo mas não estava lá disponível. Fiquei frustrado porque não consegui descobrir como baixá-lo. Por fim tive que perguntar a um amigo e ele disse-me que eu deveria comprá-lo.

Peguei o carro, fui até à Staples e pedi a um dos vendedores uma cópia do Windows. Ele perguntou-me qual, eu disse-lhe: "Quero a mais completa, por favor" e ele respondeu: "São €599, ...". Soltei um palavrão e voltei para casa de mãos abanando.

Um dos meus amigos deu-me uma cópia do Windows XP mas disse-me para não contar a ninguém. Achei estranho porque faço sempre cópias do Linux para qualquer pessoa que me pedir, e digo sempre para passar essa cópia a qualquer outra pessoa que esteja interessada, uma vez que já precisei dela.

De qualquer forma coloquei o CD no leitor e esperei que iniciasse o sistema do "Live CD". Não funcionou. A única coisa que fazia era perguntar-me se queria instalar. Telefonei para um dos meus amigos, para saber se eu estava fazendo alguma asneira, mas ele disse-me: "O XP não roda o sistema diretamente do CD". Decidi, então, instalá-lo.

Segui as instruções que apareciam na tela mas comecei a ficar nervoso porque não perguntou nada sobre os outros sistemas operacionais. Quando instalei o Linux, ele reconheceu que tinha outros sistemas operacionais na máquina e perguntou-me se queria criar uma nova partição e instalar o Linux lá. Voltei a ligar para o meu amigo e ele disse-me que, ao ser instalado, o Windows elimina qualquer outro sistema operacional que encontra.

Fiz uma cópia de segurança das minhas coisas e entrei de cabeça na instalação. Foi bastante simples, tirando a parte em que tive que escrever umas letras e um código. Tive de ligar outra vez para o meu amigo mas ele ficou chateado e veio escrever ele próprio o código. Voltou a dizer-me para não contar nada a ninguém (!!!).

Depois de reiniciar o computador, dei uma passada de olhos no sistema. Fiquei chocado quando me deixou mudar as configurações sem pedir o acesso de root. O meu amigo começou a ficar um bocado irritado quando liguei outra vez para ele, mas acabou indo lá em casa. Disse-me que o acesso de root era dado logo na inicialização. Tratei logo de fazer outra conta de usuário normal e passei a usá-la.

Comecei a ficar confuso quando tentei fazer mudanças e o sistema, ao invés de pedir acesso de root, disse-me que tinha que fechar a sessão de utilizador normal e abrir uma sessão como administrador. Comecei, então, a perceber porque é que tantas pessoas entram sempre como root e tive um arrepio na espinha.

Bom, mas já era hora de trabalhar. Fui ao menu "Iniciar -> Programas", para abrir uma planilha que eu precisava terminar, mas não consegui encontrar a aplicação de planilhas. O meu amigo disse-me que o Windows não trazia nenhuma aplicação dessas e que eu teria que baixar da Internet. "Oh...", pensei, "uma distribuição básica".

Fui ao "Adicionar/Remover Programas" do painel de controle (tal como no Linux), mas não havia lá programas para adicionar. Apenas deixava remover os programas.

Não consegui encontrar o botão para adicionar aplicações. O meu amigo disse-me que eu tinha que procurar as aplicações por minha conta. Depois de muita pesquisa no Google, lá encontrei, baixei e instalei o OpenOffice.org.

Para dizer a verdade, diverti-me à beça com o Windows. Não entendi muito da terminologia... porque é que há um drive A, depois um C... onde é que está o drive B?

Achei a distribuição demasiado básica. Não inclui nenhuma aplicação que seja verdadeiramente de produtividade e é muito confuso procurá-la. O meu amigo disse-me que eu precisava de software anti-vírus e anti-spyware, mas o Windows não vinha com nada disso.

Achei-o difícil, confuso e demasiado trabalhoso para mim. Pode ser bom para uma pessoa que seja do tipo técnico, como o meu amigo, mas eu fico mesmo com o Linux, obrigado.